terça-feira, 29 de abril de 2014

VALE A PENA VER DE NOVO "MAIS AINDA É MINHA OPINIÃO"

 
Eu acredito que os melhores acessórios que você pode colocar numa moto são quilômetros, que um motor sente ciúme quando te vê trabalhando em outro, que quem vende carro antigo e instrumento musical sempre se arrepende.
 
Pra mim estilo é menos importante que funcionalidade, que é tão importante quanto durabilidade. Mas performance me atrai. Sou louco pelo cheiro de motor 2 tempos, e de alcool queimado num carro mexido.
 
O som do primeiro ronco da Harley quando liga de manhã e do espirro de um turbo me causam a mesma reação, um arrepio excitado.
Pra mim 10% da graça está no projeto, 30% no montar do projeto. E 60% em rodar com ele. Eu acredito em carburadores.... Odeio carro automático.... Já vi mais talento num mecânico numa calçada que em muitos mecânicos de oficina autorizada.... Sou Harley e Chevrolet, mas tenho um pouco de Yamaha e Volkswagen no sangue também.... Prefiro lata, mas aceito fibra.... Me identifico mais com o cara com sua CB400 chopper feita no quintal de casa que com o cara que aluga uma Electra pra fazer a Rota 66.... Pra mim, quilômetros contam....
Acredito que deve-se respeitar sempre os motociclistas veteranos, não importa a moto que ele ande. E respeitar quem viu o lado negro do motociclismo e sobreviveu pra contar a história.... Eu sei que quando todo mundo anda igual, quem freia por último chega na frente.... Conheço a linha que separa a coragem da irresponsabilidade. Já cruzei ela, não aconselho....
 
E acredito que, às 5:30h da manhã, numa estrada deserta cheia de curvas de alta, é possível encontrar a Paz.... Mas, é MINHA opinião...
 
Texto: Lord
 
Fonte original: www.lordofmotors.com... Fonte: www.motoflashbrasil.com.br

sexta-feira, 25 de abril de 2014

terça-feira, 22 de abril de 2014

VALE A PENA VER DE NOVO "DICAS DE DURABILIDADE"

 

Veja, abaixo, algumas dicas recomendadas para “economizar” a sua moto e aumentar a sua durabilidade:

Ao dar partida no motor ainda frio, evite acelerar. Deixe que funcione em marcha lenta por alguns minutos até que atinja aproximadamente 40 graus;

Evite manter o motor ligado, com a moto parada, depois de suficientemente aquecido;

Procure passar as marchas no “tempo” certo, sincronizando corretamente a rotação, para não causar trancos no câmbio e embreagem;

Acelere e desacelere o motor sempre com progressividade, sem mudanças bruscas de velocidade;

Procure antecipar as suas ações sempre que possível para não frear bruscamente. Isso economiza pneus e sistema de freios;

Mantenha os pneus sempre calibrados, o que previne desgastes excessivos da banda de rodagem e evita esforço extra do motor;

Se possível, procure abastecer somente em postos que ofereçam combustível de boa qualidade;

Troque o óleo do motor, bem como o filtro correspondente, após transitar em locais alagados ou muito poeirentos. Ou sempre que notar alterações de cor no lubrificante, causadas por contaminação com água (esbranquiçado) ou outros produtos (esverdeado);

Mantenha sempre limpos os filtros de ar e combustível. No casso de componentes descartáveis, troque-os sempre que “enfrentar” viagens ou abastecimentos em locais sujeitos a muita fuligem, poeira ou sujeira;

Verifique regularmente a carga da bateria e o nível de solução (se necessário), para prevenir sobrecargas e esforços extras no sistema elétrico;

Não permita que a corrente de transmissão trabalhe folgada ou sem lubrificação, o que causa desgaste prematuro e aumento do esforço do motor;

Não faça adaptações de escapamentos, rodas e outros componentes que não tenham a aprovação do fabricante;

Faça as revisões periódicas em concessionária autorizada. A economia nem sempre compensa;

Após receber a moto de uma revisão ou conserto, faça uma verificação para confirmar se os serviços foram realmente feitos e se não ficou nada mal apertado ou fora do lugar.

OBS: Este trabalho foi compilado de diversas fontes, tais como: revistas especializadas, jornais, news letters eletrônicas, além de conter observações pessoais relativas à própria experiência do autor, ao longo de 40 anos de estrada sobre duas rodas e tem como objetivo fazer com que, a cada dia, mais amantes do “espírito de liberdade”, do companheirismo, da amizade desinteressada e do desestressante prazer de pilotar uma motocicleta, possam com segurança desfrutar dessa saudável atividade.


Fonte: http://www.motoseguranca.com.br/

segunda-feira, 14 de abril de 2014

BTERIA DE NOBREAK EM MOTOS, PODE?

Existem alternativas para baterias de moto?
 
Existem sim. Podem serem usadas baterias de alarme residencial que alem de não terem manutenção, ainda tem a vantagem de serem bem mais baratas, que uma boa bateria de moto.
 
 
Pode-se usar duas baterias de 12V e 7A cada uma, e teremos 12 v com 14A .
 
Algumas motos, em função da posição dos polos podem requerer uma adaptação.Até mesmo por conta do tipo de "pino", ha necessidade de adaptação dos dois "rabichos".
 
(a bateria preta é de moto e a bege é de nobreak)
 
 
(bateria de nobreak já instalada na moto)
 
No meu caso por experiência própria a bateria de nobreak durou 2 anos em minha motinha onde o povo diz que só aguenta apenas 6 messes de uso.
 
 
Fonte: blackhorsebr.blogspot.com
 
 
 

domingo, 13 de abril de 2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

CUIDANDO DE SUA MOTO

 
A tecnologia avançou, os produtos se tornam cada vez mais eficazes, os motores cada dia mais precisos, porem uma coisa segue no sentido contrario a tudo isso: os hábitos do motociclista.
Quando um motor é lançado no mercado, passa por diversos e diferentes testes, tem suas folgas ajustadas e todos os seus sistemas testados ao extremo, para então ser produzido para o mercado.
Nós, brasileiros, sempre somos contra ler manuais, seja do que for. Primeiro testamos, testamos, testamos e se não estragamos o produto para depois ler o manual, achamos que fizemos grandes descobertas.
Pois bem, numa motocicleta não é diferente. Quando ela sai da linha de produção, sai com todas as especificações necessárias ao seu bom funcionamento.
Entretanto nós teimamos em alterar as coisas, achando que estamos realizando um grande trabalho.
 
Por exemplo ; uma moto que sai de um linha de produção, sai com a indicação do óleo especifico para aquele ajuste , daquele motor, bem como indicações de prazo para troca, velas e tudo mais.
 
já começamos achando que aquele óleo não é tão bom quanto o óleo X, que alguém falou ser melhor. Depois começamos a encontrar defeitos, do tipo, se usar esse óleo, as marchas não entram, etc, etc.
 
Em seguida vem o prazo de troca, onde já começamos a criticar os construtores. Onde se viu, trocar óleo com 5 mil km. E passamos então a trocar com 2 ou 3, as vezes até menos. Somos um dos povos mais esbanjadores que existe, e essa fama se justifica não só no caso das motocicletas, mas em praticamente tudo que fazemos.
As velas? Ah imagine só, essas velas que a fabrica recomendam não valem nada, vou usar a vela Y, que vai melhorar muito,principalmente se eu trocar também aquelas porcarias daqueles cabos de vela que vem nela.
 
Nada é melhor para nossas motocicletas que seguir as instruções da fabrica. Pode estar certo que se fosse para melhorar, o fabricante já teria melhorado.
 
Pois bem, dessas alterações todas que fazemos, quase nunca vemos o resultado final, pois dificilmente fica-se com uma mesma moto até o final da vida útil dela, mas reduzimos drasticamente essa vida útil com nossas mudanças.
 
Nada é melhor que as indicações do fabricante, afinal, foi ele quem testou os motores antes de chegar as nossas mãos.
 
 
Fonte: blackhorsebr.blogspot.com

terça-feira, 1 de abril de 2014

TRISTE NOTÍCIA


Uma noticia triste surgiu no meio motociclistico pernambucano, e confesso que fiquei bastante decepcionado e mais convicto de meus ideais e que acabaram fortalecendo mais e mais a base que tive como aprendizado para minha breve vida motociclistica, fico triste porque este era um dos mc que admirava bastante pelo tradicionalismo que ensinava muito aos mais novos.
 
Segue o texo:
 
Desde a noite do último sábado (22/03/2014) o Moto Clube Clã-Destino foi extinto do meio motociclistico, o seu atual Presidente, Alexander Collares (Carioca), junto com o Briba Diretor da Facção de Currais Novos dos Kavaleiros de Aço, bem como todos os seus integrantes, declinaram dos seus coletes e o clube passa a não mais existir.
 
O clube da cidade de Paulista-PE, com facções em Alagoas e Paraíba, foi fundado em Janeiro de 2006 e tinha como Padrinho o Rota 230 mc,  sua características, ou o seu lema eram : Amizades em cima de duas rodas, sendo que o mesmo foi excluido justamente por Hipocrisia, falta de respeito e patifaria ao meio.
Juntamente com os Clã-Destinos os integrantes da facção dos kavaleiros de Aço de Currais Novos também tiraram seus coletes, salientamos que os kavaleiros de Aço da Facção de Petrolina-PE, sob o comando do Uilton, nada tem haver com o episodio protagonizado pelo Briba e pelo Carioca.
 
 
Fonte: revisamotoclubes.com.br