segunda-feira, 17 de junho de 2013

MOTOS VELHAS



" O prazer em andar de moto não está em acelerar a mais de 200km/h, e sim pilotar uma moto antiga e relaxar dentro da natureza ouvindo o poh-poh-poh ... poh-poh-poh.

A tua moto nova daqui há dez anos será uma moto velha, a minha continuará a ser uma clássica.
Uma moto nova, qualquer um pode comprar, basta ter dinheiro. Para comprar uma moto antiga é necessário ter amizades, conhecimento e outras coisas que o dinheiro não compra.
Uma moto antiga não se vende, se transfere o privilégio de possuí-la a um amigo.
Quando te perguntam na rua qual é o valor da moto: "Moto antiga não tem preço porque não existe para vender: quem achou uma tem, quem não tem fica só olhando".
Quando te perguntam na rua qual é o valor da moto: "Não vale nada, porém não vendo por dinheiro nenhum deste mndo".

A moto antiga diz para seu dono:
Não corra.
Deixe ele passar.
Não tenha pressa.
Relaxe e aproveite.

Motocicletas antigas: uma paixão sem limite de idade.
Moto antiga é cultura.
Moto Antiga é como mulher de amigo: você olha, admira mas não toca.
A motocicleta clássica não é uma motocicleta vulgar, ela é algo especial.
Especial, não só para o seu dono; por onde ela passa é logo notada.
"Estacionadas lado a lado apaga a moderna.
Quem a pilota volta aos velhos e bons tempos.

Quando as modernas a cruzam em altas rotações, mal percebem o alegre compasso de seu pulsante motor.
Talvez as clássicas nos dêem o pequeno gosto da poesia que o mundo esqueceu de dar à vida. E poucos privilegiados tem o prazer de pilotar.
Você não para de andar de moto porque fica velho. Você fica velho porque parou de andar de moto... Pilotar uma Moto Antiga é como sonhar acordado o sonho de liberdade que muitos homens tiveram, mas que agora é só teu.
A Moto Antiga exige atenção, disciplina, amor e carinho. Quanto mais antiga, mais ela precisa, e a retribuição vem naturalmente.
Possuir uma Moto Antiga realiza no presente um sonho do passado.
A beleza da moto antiga, é a história que nela está inserida.

Viva a vida ao máximo, mas aproveite com cuidado pois sua vida é tão rara como sua moto antiga.
As pessoas costumam confundir o velho com o antigo. O primeiro não exige nenhum esforço para obtê-lo , apenas devemos deixar o tempo agir de forma predominante e covarde ; enquanto o segundo exige de nós o máximo de carinho , respeito e amor tornando-o tão único e especial o qual podemos chamá-lo de clássico.

Deixa que as novas passem, passem a voar. Devagar eu vou chegar e com a minha antiga vou abafar.
Quem possui uma motocicleta antiga, possui também um pedaço da história... Con mi moto antigua manejo despacio, disfrutando el paisaje, y su bucólico sonido.
Quanto mais velho eu fico mais rápido eu era... Moto antiga não anda nem voa, moto antiga desfila.
Se uma moto antiga é mais lenta, não importa. Em cima dela você tem o privilégio de não precisar ter pressa.

Andar de moto antiga, é sentir estar no passado, mas curtindo o presente.
A deles peeeemmmmmmmmmmm...... A minha toh toh toh ....... A oportunidade de se ter uma antiga às vezes aparece somente uma vez na vida; não deixe escapar pelas mãos.
As motos novas correm como que atrás de um tempo perdido. As motos antigas fizeram do tempo seu melhor amigo.

Existem motociclistas ousados e motociclistas velhos, mas não existem motociclistas ousados e velhos.
Eles tem adrenalina no sangue, nós temos ferrugem."


Texto: Marcão do Clube XT 600

quarta-feira, 5 de junho de 2013

CAMPANHA "LIGUEM A SETA"


Seta não é cú, dê sem medo, e aos biker's de plantão, pilotem não apenas pensando em vocês mais tentem antecipar os movimentos dos outros que estão na pista, nunca subestimem as pessoas, elas não sabem o que você esta pensando!

segunda-feira, 3 de junho de 2013

PARE, VEJA E REFLITA



Bom, minha média de andar é entre 12 e 14 (entenderam né ). Aí você vai me chamar de "roda presa", de "medroso", ou de "covarde".

Não... nada disso... eu dou umas puxadas e já cheguei a 24... 25... 26 (no velocímetro). Mas isso em retas, onde a visibilidade era boa, eu conhecia a estrada, etc.

Claro que "acidentes" podem acontecer, e o nome já diz : "Acidente" , algo que não é planejado, mas que você terá culpa. Mas as chances de você ter um acidente andando a 24 numa retona, sem entradas laterais, com boa visibilidade são muito menores que andar a 24 numa Rodovia Fernão Dias, por exemplo.

Claro que eu gosto de 'dar umas esticadinhas ', mas eu sempre digo - e sempre vou dizer - que a moto está aqui, comigo, para me dar prazer, e não para me matar. Ou seja, se eu sou "roda presa", "medroso" ou "covarde", pelo menos estou vivo e devo andar de moto até os 87 anos . :)

O que eu não entendo, e aí minha cabeça dá um nó mesmo, é que tem "irmãos" que compram as motos - normalmente as speeds - para arrochar mesmo. Tipo "Ah, se eu não andar a 240... 250 Km/h não tem graça... preciso de adrenalina". Ah, vá saltar de paraquedas então, queda livre a 200 Km/h, 12.000 pés de altitude, você vai ver o que é adrenalina. E é muito, mas muito mais seguro que andar a 24... 25... 26 numa rodovia qualquer.

Correr? Sim, até pode ser, por um breve período de tempo, num local "seguro", com boa visibilidade.
Morrer? Sim, até pode ser, de velhice, dormindo, com um sorriso no rosto , esta é a ideia.

Abraços e boas estradas.


Texto: Celso Cortes